Receba nossa news

  •  
  •  
Você está aqui: Home Suplementos Especiais Produtos para saúde Inspirando bons resultados

Inspirando bons resultados

Inspirando bons resultadosO mercado de inaladores movimenta R$ 261 milhões e atinge crescimento de dois dígitos ao ano. A categora tem as farmácias como principal canal de vendas

Comumente usados no tratamento de problemas respiratórios, gripes, resfriados ou rinites, já que têm o papel de descongestionar as vias aéreas, os inaladores formam um mercado bastante promissor no País. Segundo dados do IMS Health, fornecidos por Vick, as vendas da categoria de inaladores/descongestionantes atingiram, aproximadamente, R$ 261 milhões no ano passado. Em relação a 2011, a alta alcançou 14%. “O crescimento da categoria se dá principalmente no segmento de descongestionantes. No nosso ponto de vista, houve crescimento orgânico, já que os consumidores passaram a usar mais o produto pelas variações climáticas e maior recomendação de médicos”, avalia a gerente de marketing de Vick, Fernanda Rinaldi, salientando que a marca, hoje, movimenta, aproximadamente, R$ 13 milhões em vendas.

O gerente comercial da NS Indústria de Aparelhos Médicos, Maurício Parizi, afirma, ainda, outro ponto positivo para esse mercado, que está na maior acessibilidade dos aparelhos de inalação. “Esse crescimento deve-se em função da melhoria de renda da população em geral que impulsionou o consumo por meio da facilidade na aquisição e acesso ao pagamento parcelado”, avalia.

De acordo com o coordenador de marketing da Accumed, Pedro Henrique Abreu, ter um aparelho em casa proporciona diversas vantagens ao consumidor, como a facilidade de poder realizar o tratamento indicado pelo médico, sem necessidade de se dirigir a uma unidade de saúde. “Este é um hábito que tende a aumentar entre os brasileiros, pois o custo dos equipamentos é bastante acessível, além disso, todos os dias nascem pessoas e todos os dias pessoas ficam mais velhas, ou seja, potenciais usuários de inaladores. Assim que o médico prescreve o uso de inalador o consumidor procura uma farmácia.”

Para este ano, de acordo com a especialista de Vick, as expectativas são de um crescimento similar ao atingido em 2012, em torno de 15%.

A NS prevê crescimento aproximado de 10% na linha de aparelhos para inalação. “A principal aposta da empresa é cada vez mais investir na qualidade de seus produtos a menor custo”, destaca Parizi.

NO PONTO DE VENDA

Para a gerente de marketing de Vick, Fernanda Rinaldi, os inaladores nasais devem ser expostos sempre próximos aos medicamentos direcionados ao tratamento de gripes e resfriados, pois os consumidores acometidos por essas doenças são os que mais procuram esse tipo de produto. Em relação aos aparelhos de inalação, o gerente comercial da NS Indústria de Aparelhos Médicos recomenda uma exposição casada com produtos associados. “Vale colocá-los próximos de categorias como soro fisiológico, acessórios para inalação e aparelhos para prevenção de doenças respiratórias como purificadores de ar, vaporizadores e umidificadores de ambiente e até mesmo aromatizadores. Com isso o consumidor tem acesso aos aparelhos, suas funcionalidades e acaba conhecendo mais sobre o mix de produtos”, avalia. A especialista de Vick também acredita no potencial da exposição casada. “Nossa recomendação é ter todos os produtos da linha Vick juntos para mostrar que temos uma solução completa para gripes e resfriados”, orienta Fernanda.

O especialista da NS também recomenda que a exibição dos aparelhos seja destacada no PDV em pilhas com formatos diferenciados para chamar a atenção do cliente, além das pontas de gôndolas. “Com essa estratégia, os produtos ficam expostos em locais de maior visibilidade e circulação na loja. Vale, ainda, expor os aparelhos em funcionamento para demonstrar sua utilização e despertar interesse do consumidor durante o ano todo, já que não é apenas no inverno que o consumidor utiliza o inalador”, considera Parizi.

Por terem alto valor agregado, algumas farmácias acabam deixando os aparelhos para inalação atrás do balcão. No entanto, essa ação pode prejudicar as vendas. “Para driblar esse problema, os estabelecimentos podem colocar caixas vazias dos produtos em locais visíveis. No caso de acesso mais restrito, como produtos em prateleiras altas ou vitrines com vidro, também vale apresentar os inaladores nos encartes das lojas”, ensina o especialista da NS Indústria de Aparelhos Médicos.

No momento da exposição, vale a pena estar atento à sazonalidade e, nos períodos de maior demanda, manter a categoria com mais destaque no ponto de venda. “As vendas do inverno correspondem a 40% das realizadas durante o ano (entre maio e agosto). Em média, as vendas nos meses de inverno são 30% maiores que nos meses fora da estação”, revela a especialista de Vick.

Maurício Parizi também comprova o efeito da sazonalidade na categoria de aparelhos de inalação. “Durante a sazonalidade de outono/inverno, há um aumento aproximado de 25% nas vendas”, diz.

VERSÕES CADA VEZ MAIS PRÁTICAS PARA O CONSUMIDOR

Hoje, os inaladores estão disponíveis em duas versões. Uma delas usa a tecnologia do ar comprimido, considerada a mais popular do mercado. Nesse caso, o aparelho é mecânico e conta com um compressor que produz ar e transforma o medicamento em névoa. Também existem os inaladores ultrassônicos, que são eletrônicos, possuem funcionamento silencioso e proporcionam um tempo de inalação mais curto. Esses aparelhos dispõem de cristais no compartimento interno, que recebem alta frequência. Desta forma vibram e transformam o medicamento em pequenas partículas.

Sites do Grupo

logo-contento
logo site

Contate-nos

1396561723 social facebook box blue   1396561730 social twitter box blue   1396561765 youtube

Guia da Farmácia: Revista dirigida aos profissionais de saúde
Rua Leonardo Nunes, 198
Vila Clementino – CEP 04039-010
São Paulo – SP


Telefone (11) 5082-2200
comunicacao@contento.com.br